As forças vitais

Certa vez, Wisława Szymborska (1923-2012) escreveu: “A poesia, como, aliás, toda a literatura, retira suas forças vitais do mundo em que vivemos, das vivências realmente vividas, das experiências realmente sofridas e dos pensamentos que nós mesmos pensamos.” Esse trecho foi retirado do livro Correio literário, a ser publicado em breve pela Editora Âyiné, no qual Szymborska tece críticas e aconselha jovens escritores e poetas a respeito dos textos e poemas enviados para avaliação à revista Vida literária, onde ela trabalhava. Ao lermos a obra da autora, percebemos que seguiu ao pé da letra os preceitos que recomendava aos jovens literatos. Há poemas de Szymborska até agora inéditos em português, que ilustram sua maestria na transformação em pura poesia de sensações, percepções e sentimentos oriundos de suas experiências de vida e reflexões, sejam elas provenientes de observações de viagens, fenômenos e seres da natureza, fatos corriqueiros da vida diária, impressões dos sonhos ou a perda dolorosa de um ente querido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s